A eficácia de um curativo lipido-colóide com prata em lesões fortemente colonizadas: uma ECR republicada

A eficácia de um curativo lipido-colóide com prata em lesões fortemente colonizadas: uma ECR republicada

Author(s) : I. Lazareth


lazareth
  • Objetivo: Avaliar a capacidade de uma camada de contato lipido-colóide com prata para promover o processo de cicatrização de úlceras venosas de perna (UV) apresentando sinais inflamatórios, sugerindo uma grande colonização por bactérias, e em seguida, atraso na cicatrização em comparação com o mesmo curativo não impregnado com sais de prata.
  • Métodos: Este foi um estudo aberto, controlado, randomizado. As UV´s selecionadas apresentavam pelo menos 3 de 5 sinais clínicos indicativos de alta colonização bacteriana. Os pacientes foram tratados com coberturas com prata (Grupo CLS, UrgoTul Ag- Laboratórios Urgo) ou coberturas neutras (Grupo CL, UrgoTul – Laboratórios Urgo) durante 4 semanas. Em seguida, todas as úlceras foram tratadas por mais 4 semanas com a cobertura neutra (CL e CLS, UrgoTul – Laboratórios Urgo). Foram realizadas a avaliação e medição da área da lesão semanalmente, durante as primeiras 4 semanas, e depois nas semanas 6 e 8. O principal critério de eficácia foi a diminuição da área absoluta da lesão nas semanas 4 e 8.
  • Resultados: Os pacientes (n=102) foram aleatoriamente selecionados e tratados.  As lesões tinham em média cerca de 11 meses, 65% eram recorrentes e área média era de 20,0 ± 17.8cm². Quase 80% das UV´s tratadas estavam estagnando/agravando com o seu tratamento anterior. Na semana 4, a área de superfície diminuiu em média 6,5 ± 13.4cm² (mediana: 4.2cm²) e 1,3 ± 9.0cm² (mediana: 1.1cm²) nos grupos CLS e CL, respectivamente (p=0,023). Na semana 8, a diminuição média foi de 5.9cm² versos 0.8cm² (p=0,002), com uma diminuição percentual da lesão de 48% e 5,6% (p=0,036). A taxa média de fechamento foi 0.145cm²/dia versos 0.044cm²/dia (P=0,009) na semana 4 e manteve-se mais elevada no grupo CLS até a semana 8, mesmo após a mudança para a cobertura neutra nesses pacientes (p=0,001). O racional da probabilidade (regressão logística multinominal) de alcançar uma redução de área da ferida ≥40% foi de 2,7 (95% CI: I.I; 6,7, p = 0,038) para as úlceras tratadas com a cobertura de prata. A tolerância do curativo foi boa em ambos os grupos.

Download PDF

 

Última atualização : 17/11/2018